Porno Carioca – Vídeos Pornô Grátis, Amador, Vídeos de Sexo. - Os Melhores videos porno, videos de sexo amadores que caiu na net, muita putaria e bucetas. Filmes porno totalmente gratis e caseiros idem xvideos.
Home » Contos »

Conto de Sexo Brasileiro – No Caminho de Casa

Conto de Sexo Brasileiro – No Caminho de Casa

Conto de Sexo Brasileiro – No Caminho de Casa:

Voltando da festa de aniversário da esposa de um amigo de trabalho eu e minha esposa resolvemos pegar um caminho diferente pra casa, passando por algumas ruas mais desertas, nesse caminho em uma determinada rua resolvi parar,era uma rua de um barro bem pacato não muito longe de nossa casa. Ao parar minha esposa perguntou perguntou o motivo de eu ter parado, eu disse que queria brincar com ela ali dentro do carro, ela uma risadinha e disse que eu estava ficando louco, pois  poderia passar alguém ali nos pegarem, eu insisti dizendo que não até porque já era tarde da noite e que fazia tempo que estava com essa ideia. minha esposa estava usando um vestido preto bem justo no corpo e decotado nas costas.

começamos a nos beijarmos, do mesmo modo que comecei a passar a mão na bunda dela e a subir seu vestido mostrando sua fio dental minuscula em meio aquela bunda maravilhosa que eu tinha o prazer de comer gostoso. minha esposa também começou alisar meu pau por cima da calça em seguida tirando ele para fora e começando um delicioso boquete que só ela sabe fazer, eu disse pra ela tirar a calcinha e fez rapidamente, eu comecei a enfiar os dedos na buceta dela já toda molhada e minha esposa continuava no boquete.
minha intenção na brincadeira era deixar ela louca e ir pra casa rápido e comer ela como uma puta na sala mesmo já que não temos filhos, mas, algo deu errado! apareceu uma carro de policia do nada e vendo a que havia gente dentro carro foi parando devagar ao lado, minha esposa levantou rapidamente o tempo que deu foi pra eu colocar o pau de volta nas calças e e ela de abaixar o vestido apenas, os dois policiais desceram do carro pediu que eu abaixasse o vidro e perguntou o que fazíamos ali parados aquela hora da noite, eu não tendo o que responder pediram que eu e minha esposa descêssemos do carro para uma vistoria em nós e no carro, perguntaram se estávamos em posse de drogas e tudo mais, já que o cheiro de bebida estava explicito e nem precisava perguntar. respondi que não, o dos policiais disse pra minha mulher colocar mão no teto do carro eu achei que iria aliviar a parte dela pelo fato dela esta apenas de vestido o outro policial disse pra encostar na viatura pra me revistar eu insistindo pra chamassem outra viatura com UMA POLICIAL pra revistar minha esposa já que disseram que era necessário, fui respondido com arrogância pois estávamos fora de hora na rua supostamente com drogas, eu ia falar mais o quê? eu bêbado, minha mulher também. fui revistado não encontraram nada, notei uma demora de minha esposa  com outro policial, quando viro a cabeça por cima dos outros minha surpresa o policial enrabando minha esposa. falei pro outro que estava ao meu lado para impedir ele rindo e olhando fixo disse que não. quando me virei encontrei minha esposa olhos fechados gemendo deliciosamente permitindo o ato. como estava escuro não tive uma visão muito ampla, visão apenas de minha esposa com uma cara de satisfação.
Eu não acreditava no que estava vendo minha mulher sendo enrabada e absolutamente entregue aquele guardinha de merda quando de repente ouço ele dizendo que iria gozar na bunda dela, lugar que eu tenho maior prazer de beijar, morder, etc…  depois de tudo isso fomos liberados, minha mulher olhou pra mim e não disse nada, apenas olhou pra baixo e me viu de pau duro… chegamos em casa e entrando ela foi tomar banho sem dizer uma palavra, fiquei na sala pensando no que tinha acabado de acontecer e com um tesão louco fui atras de mulher tirei a roupa e já entrei no chuveiro beijando e levei a mão na buceta dela, saímos molhados sem enxugar fomos pra cama e eu já doido de tesão comecei a chupar a buceta da minha mulher,  ai acabou o voto de silencio dela que começou a pedir pra eu come-la, quando comecei a meter o pau nela a começou delirar e falar pra comer ela gostoso igual o policial, que eu tinha adorado ver ela sendo comida por ele, não consegui segurar o tesão enchi a buceta dela de porra…passamos o resto da noite fazendo amor, no outro dia acordamos já de tarde. desse dia pra cá fico doido com ela, não posso ver-la com os shortinhos em casa e fico imaginando o guardinha tirando ele comendo ela e já vou pra cima dela e transamos.. perguntei à ela se ela gostaria de dar pra ele de novo ela me respondeu que talvez seria interessante uma outra chance, não sei como ela conseguiu o whatsapp dele e vem falando com ele…. darei detalhes das conversas no próximo conto.