Porno Carioca – Vídeos Pornô Grátis, Amador, Vídeos de Sexo. - Os Melhores videos porno, videos de sexo amadores que caiu na net, muita putaria e bucetas. Filmes porno totalmente gratis e caseiros idem xvideos.
Home » Contos »

Conto Pornô Brasileiro – O Pai da Minha Amiga Me Transformou Numa Putinha

Conto Pornô Brasileiro – O Pai da Minha Amiga Me Transformou Numa Putinha

Vou contar a história de quando eu era novinha e o pai de uma amiga minha me fez virar a putinha que sou até hoje.

Primeiramente vem a minha apresentação. Meu nome é Amanda e moro em Florianópolis – SC, sou loirinha com seios grandes e barriga chapadinha. Também possuo uma bunda grandinha e empinada. Atualmente estou com 29 anos.
Agora vamos ao que interessa, tudo começou quando eu tinha 16 anos, nessa época eu ainda era virgem, mais não era bobinha, já sabia de muita coisa. E tinha uma amiguinha chamada Bruna, ela morava em uma casa bem bonita, com piscina, vários quartos, banheira de hidromassagem. E como aqui no estado o verão é um verdadeiro inferno, eu ia na casa da Bruna todos os finais de semana, até dormia lá, ela morava com os pais e um irmão mais velho que na época deveria ter uns 18 anos, como era sempre a mãe dela que ia me buscar em casa, eu nunca tinha visto o pais dela, até que num dia nós estávamos brincado de esconde e esconde, e eu sem querer entrei num dos quartos da casa e me deparei com uma cena que jamais iria sair da minha mente, vi um senhor, que depois descobri que era o pai da Bruna, tocando uma bela punheta, eu na hora não consegui sair de lá, fiquei hipnotizada com a cena, e logo senti algo diferente em minha bucetinha, logico que ele me viu lá, e mesmo assim não parou, e continuou se masturbando e me olhando, até que ouvi a Bruna me chamando e sai correndo e não contei nada a ninguém do que eu vi.
Logo mais a noite quando eu fui dormir num dos quartos de hospedes da casa, não conseguia parar de pensar no que vi, e nisso, novamente minha bucetinha estava molhada, era uma boa sensação aquela que eu sentia, eu estava usando apenas camisola e calcinha, e depois de um tempo eu ouvi a porta se abrir, fechei meus olhos e fingi que estava dormindo, e senti uma mão, grande passando sobre minha pernas e coxa, mesmo com 16 anos eu já tinha um corpo bem desenvolvido, com peitos e bunda bem grandes, logo senti a mão em minha bunda erguendo minha camisola até a minha cintura, e aquela mão me acariciava e minha buceta cada vez mais molhada, que ja dava até para ver pela calcinha, e vi que aquela mão pertencia ao pai de Bruna, o Tio Otávio, foi ai que ele viu que eu estava dormindo, foi o que ele achou, e resolveu tirar minha calcinha, e começou a enfiar o dedo na minha bucetinha revelando que eu estava adorando aquela situação, ouvi ele dizendo baixinho, que eu era mesmo uma putinha, e merecia aquilo, depois de dedilhar muito, eu comecei a sentir algo muito estranho e maravilhoso acontecer com o meu corpo, comecei a tremer e a gemer, sentia uns arrepios muitos estranhos, e logo depois meu corpo todo ficou mole, ele me fez ter um orgasmo pela primeira vez, me fez gozar em sua mão, ele começou a tocar uma punheta e gozou na entradinha da buceta, colocou novamente minha calcinha e saiu do quarto. e eu fiquei ali maravilhada com tudo aquilo e acabei dormindo.
No outo dia de manhã vi que ele estava lá tomando café, também reparei que mãe da Bruna não estava, ai falaram que ela teve que ir trabalhar, que como ela era médica, aquele domingo era plantão dela, o irmão de Bruna, foi passar o domingo na casa de uns primos, então só tinha na casa eu, Bruna e seu pai Otávio. Como acordamos tarde e tomamos um café caprichado, logo fomos para a piscina e o pai dela foi com nós, e sempre que podia ele me agarrava, pegava nos meu peitos, passava a mão na minha buceta e bunda, esfregava o pau em mim, até me fez pegar no seu pau, que eu pudesse sentir o quanto estava duro, e eu nem nenhum momento evitei, minha buceta já estava dando sinais que queria mais. Passamos a tarde na piscina, e quando saímos ele resolveu que iria nos dar banho, nos levou até a banheira, e deu banho na bruna e eu fiquei a sentadinha só olhando, ai quando a Bruna já estava pronto, ela foi para o quarto dele se vestiu e acabou dormindo, ai seria minha vez, foi ai que tudo começou, ele me pegou no colo e me pós dento da banheira, e já foi dizendo, agora se prepara putinha, porque você ser minha, na hora me deu um medo, mais o tesão foi muito maior, e deixei levar, pois estava amando aquela situação, e ele me beijou, dizendo tu acha que eu acreditei que você estava dormindo ontem, eu não dizia nada só soltava uns gemidinhos, ele tirou a parte de cima do meu biquini e começou a mamar em minha tetonas, eu só fechei os olhos e queria que aquilo nunca mais acabasse, e como ele era bom nas mamadas, mordia meus biquinhos, chupava com vontade, e ele ficou por uns instante, até ir descendo, e beijar, minha barriguinha, e chegar na minha bucetinha, ele nem quis colocar os dedos nela, por mais que eu tenha pedido, ele só me respondeu, calma minha puta, tenho algo muito melhor, ele me colocou em cima do mármore da banheira, abriu bem as minhas pernas, deixando minha bucetinha totalmente exposta, ele soltou meu biquini pelas cordinhas, me deixando nua, foi ai que ele iniciou a melhor chupada que tive até hoje, ele chupava, mordia meu clitóris, e novamente senti aquela sensação que tive na noite passada, e eu fiquei ali tento um gozo atras do outro, foram vários, so sei que no final ja nem me aguentava em pé, e nisso ele tirou sem pau para fora, e pude ver aquilo de perto, e foi amor a primeira vista, desde aquele momento me apaixonei por paus, o pau do tio Otávio, não era muito grande,devia ter uns 16cm, mais era lindo, perfeito e cheiroso, na hora num impulso que não sei da onde veio, peguei, comecei a punhetar e coloquei minha boquinha nele, ai foi a fez dele gemer, eu eu fazia o que ele me pedia, lambia tudinho, chupava até o fundo, até nas bolas, e chupava também o saco, e ficamos ai durante uns 10 minutos até que ele disse, agora putinha vai tomar meu leitinho, e não pode deixar cair nada pra fora, e assim fiz, como uma verdadeira puta, engoli tudinho. ai ele me disse que ainda não tinha acabado, como eu já estava entregue ao prazer, deixei tudo, nisso como eu já estava deitada, ele só colocou minha pernas para cima, como o seu pau já estava duro novamente e ele enfiou tudinho o pau na minha bucetinha, de uma só vez, eu que até então era virgem, na hora dei um grito bem alto, pois naquele momento tinha perdido meu cabaço, mais ele não parou, e começo a bombar cada vez mais rápido e forte, ai a dor passou e eu comecei a gemer alto, estava entregue aquela macho gostoso, e gozei novamente, e ele avisou que ia gozar e eu senti aquela pau dentro de mim, ficar, mais grosso, e pulsar e nisso senti jato de porra invadindo meu útero, ele tirou o pau e eu chupei ele novamente até ficar duro, deixando ele bem limpinho, quando ja estava duro novamente, eu continue aquele boquete maravilhoso e meu macho dizia que eu nasci pra ser boqueteira, que minha buceta era muito gostosa, e queria saber como meu cú era, ai ele me colocou de quatro, e pincela o pau na minha bunda sempre elogia, dizendo que eu tinha um rabão delicioso, um rabo que pedia pau, nisso ele colocou um pouco de condicionador no pau e na entrada do meu cú, e fez como tinha feito com a buceta, e enfiou tudo de uma só vez, naquele momento comecei a chorar, e gritar muito, mais ele não parava, ele socava forte dentro do muito cú, minhas pregas já nem existiam mais, meu cú ardia, ele meu macho não parava, depois de uns 5 minutos, dele me fudendo, a dor passou, e comecei a sentir prazer, e novamente gozei, e ele também enchendo meu cu de porra. Meu macho tirou o pau já murxo, mandou eu limpar ele novamente, com um boquete, e assim fiz. nisso ele tomou um banho e eu também, foi ai que eu pude ver o estrago da minha buceta e do meu cú, ambos sangravam, e ardiam, ai saímos do banho, e fomos deitar, juntos na cama, onde ele me fudeu mais uma vez, que que com mais amor, gozou em minha buceta, e nisso a Bruna acordou, acabou nos pegando deitados juntos, mais ela era bobinha não percebeu nada, coloquei minha roupa e ele me mandou ir para casa daquele jeito, com a porra dele escorrendo entre minha pernas, ele e a Bruna me levaram para casa, chegando em casa quase nem conseguia sentar, tomei um banho, e partir daquele dia, tocava uma siririca sempre lembrando de tudo que vivemos. logico que tivemos outros encontros, mais isso são outros contos.
Mas graças a esse meu tio Otávio eu só gosto de sexo quente e com muita putaria. Não sou romântica na cama eu gosto é de sacanagem mesmo. Não faço amor, eu trepo mesmo. Hoje sou uma putinha mesmo e com muito orgulho.