• Acompanhantes VIP
  • Skokka
Home » Contos » Minha primeira gozada foi na boca do meu primo

Minha primeira gozada foi na boca do meu primo

Minha primeira gozada foi na boca do meu primo

Olá taradinhos de plantão!
Primeiramente vou me apresentar, sou rapaz morena, altura média e magrinho (1,70m e 59kg), 23 anos, consideravelmente bonito mas nada demais, e um dote de 18cm. Moro numa cidade do Goiás próxima a Brasília e acho que é isso, rs. Bom, e todas as histórias que postarei aqui serão histórias que vivenciei e valeram a pena. Começando por essa:

Desde que me entendo por gente sempre gostei de ficar mexendo no meu pau, algumas vezes por não saber exatamente o que fazia, começava a mexer na frente dos outros (isso quando criancinha ainda) e levava umas belas chineladas e cintadas do meu pai, rs.
Sempre que tinha uma oportunidade começava a manipular meu pequeno pauzinho. E com o passar dos anos fui associando o prazer a outras pessoas, mas desde sempre, homens. As vezes rolava umas brincadeiras com os meninos da rua e com alguns primos, mas nada além de pegaçãozinha de moleques mesmo.

Numa certa ocasião, a família toda foi para uma fazenda em que meu tio trabalhava, foram meus avós paternos, todos os meus tios, tias e primos paternos, minha mãe, meu pai, meu irmão, e mais dois casais de tios do lado materno, ou seja, uma farofada daquelas, família grande já viu né!?
Tudo seguindo seu curso normal, os homens adultos fazendo churrasco, as mulheres na cozinha fofocando e a molecada solta no pasto jogando bola e andando à cavalo.
Chega a noite e é hora da distribuição de lugares para todos dormirem. Tinha gente dormindo até na cozinha.
Eu fiquei escalado para dormir com meu primo,(filho do tio que trabalha na fazenda) na cama de baixo de uma beliche sendo que na parte de cima dormiria um outro tio.
Fiquei logo com tesão na situação de dormir junto com meu primo, já que nos roçamos algumas vezes quando mais novos, não sabia o que faria para que rolasse porque não tinha ideia se seria bem recebido ou se seria ignorado.

A casa permanecia silenciosa, parecia que todos dormiam. E eu louco e de pau duro criando coragem de fazer qualquer coisa para chamar a atenção de meu primo. Estávamos na posição em que meus pés ficavam no rumo da cabeça dele e ele o mesmo. Quando percebi o silêncio total e imaginei a casa inteira dormindo tomei atitude e coloquei a minha mão esquerda na coxa do meu primo, esperei um pouco pra ver se haveria rejeição, mas para alegria geral não rolou.
Comecei a alisar a coxa dele de leve, achei até que estivesse dormindo, quando ele coloca a mão na minha coxa e começa a alisar também.
Enfio a minha mão por dentro da perna do short e continuo alisando e ele repetindo os movimentos. Num certo momento passei de alisar a coxa para subir mais um pouco, comecei a alisar o saco e o pau dele por cima da cueca. Eu já não aguentando apenas isso virei a cabeça pro mesmo lado que ele e já fui deitando em cima dele, procurando a boca dele com a minha. Foi um beijo ardente e delicioso, até hoje o melhor da minha vida. Ficamos nos beijando e roçando um no outro, tomando cuidado pra não fazer muito barulho, mas era inevitável.
Minha língua ora procurava a boca dele, ora a orelha e o pescoço e ele ficava louco e me abraçava e me apertava mais em seu corpo como nossos paus se pressionando, sensação maravilhosa. Aos poucos fomos nos despindo e ficando completamente nus e se esfregando sentindo o calor do corpo um do outro numa noite um pouco fria. Nos beijávamos loucamente e nos punhetávamos ao mesmo tempo, e tudo isso com o coração acelerado com receio de que alguém acordasse com algum barulho, mas o tesão era maior.
Minha boca percorria o pescoço dele, desci até seus mamilos e comecei a chupar um e outro, e ele se contorcendo na cama e suspirando fundo, desci com a língua até sua barriga e fui descendo até a região pubiana, tinham alguns pelos crescendo ali, e eu lambendo todos e mordendo de leve até chegar no pau dele, um pau já grande pela idade que tinhamos. Coloquei-o todo na boca e comecei a chupar e meu primo a se contorcer na cama, chupava forte e fundo, às vezes parava por causa de algum barulho, mas logo voltava a sugar aquela delícia. Mordia de leve do lado, passava a língua na cabecinha, punhetava e sugava de novo. Depois suguei as bolas dele ele suspirava cada vez mais fundo. Me puxou para cima e me beijou maravilhosamente como só ele sabia fazer, um beijo molhado e geladinho, e nisso me coloca por baixo e deita por cima de mim, um de frente pro outro, e começa a lamber e morder minha orelha, e eu desfalecendo de prazer e o apertando e roçando meu pau no dele e apertando a bundona dele, ele vai descendo me lambendo todinho da mesma forma que eu fiz, eu delirando de prazer. Chegou no meu pau, começou a chupar, e que chupada foi aquela meu irmão!!! Uma das melhores mamadas da minha vida. Ele chupava até o fundo com uma boca macia e uma língua quente e subia e descia com a boca. Eu ia a loucura, queria espernear, gritar, mas tinha que me contar. E ele me punhetava enquanto chupava meus ovos e eu quase desmaiando de tanto tesão que sentia.
Puxei ele pra cima de mim e demos um longo beijo nos esfregando, apertando e apalpando, quando eu viro a cabeça pro lado do pau dele, deixando o meu no rumo da cabeça dele e começamos um delicioso 69. Soltando suspiros longos e prazerosos.
Começo a fazer movimentos de vai e vem com meu pau na boca do primo ao mesmo tempo que ele fazia na minha, e ficamos nessa chupação por um bom tempo, mas nem ligava, tava uma delícia! Eu estocava fundo o pau na boca do meu primo e ele sempre sugando e lambendo e punhetando e eu com o pau dele na minha boca. De repente começo a dar uns espasmos, sinto meu pau latejando dentro da boca quente e macia do meu primo, tremo um pouquinho as pernas e os sinto meus olhos virarem… Êxtase! Senti meu pau latejando e soltando minha primeira porra na boca do meu primo. Coração acelerado, por ter gemido um pouco mais alto que o “permitido”. E um pouco assustado por nunca ter gozado na vida. Mas mesmo assim aliviado pelo prazer.
Meu primo parou de me chupar e eu coloquei minha cueca e corri um pouco assustado pro banheiro, mas sem fazer muito barulho e com cuidado pra não pisar em ninguém que tivesse dormindo no chão. rs.
Quando cheguei ao banheiro e acendi a luz vi que restou um líquido branco no meu pau e percebi que tinha gozado pela primeira vez e na boca do meu primo! Me senti satisfeito.
Voltei pra cama, deitei na posição inicial, com os pés no rumo do rosto dele ignorei ele alisando minha perna e dormi.
No dia seguinte, fingimos que nada aconteceu. Fomos todos para uma cachoeira lá perto e às vezes eu e ele se roçava dentro da água, algumas vezes ele até se abaixava dentro da água e mordia o meu pau por cima da sunga.
Na semana que se seguiu, depois de cada um já em sua casa, minha mãe veio me perguntar o que tinha acontecido no dia da fazenda porque o meu tio que dormiu na parte de cima da beliche disse que estávamos nos movimentando muito e ouvindo muitos barulhos estranhos. Eu claro, dei um jeito de contornar.

Esse lance com meu primo rolou sempre, sempre que eu ia pra fazenda a gente dava um jeito de dormir juntos, sempre que ele vinha dormir aqui em casa eu dava um jeito de escapar pro quarto que ele ficava, mas sempre assim, nos beijos ardentes, nos amassos e nas chupações, ficamos nisso até uns 20 anos de idade. Nunca passou disso, mas não tenho dúvidas que esse foi o cara que me deu mais prazer na vida, pelo menos até hoje. rs
Com o tempo ele foi deixando de dormir aqui, e com meu tio deixando de trabalhar na fazenda nunca mais aconteceram reuniões familiares lá e a gente foi se distanciando.
Hoje ele tá casado, acho que tá com 22 anos. Tenho saudades e sempre bato uma ou outra pensando nele, mas não morrerei por isso, hahaha.

Bom esse foi meu primeiro relato, espero que gostem. E em breve postarei outras histórias picantes que aconteceram comigo.

Abraços!

  • Avaliação:
    1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
    Loading ... Loading ...
  • Postado por: Zé Carioca
  • Visitas: 262
  • Data: 04/06/2013
  • Categorias: Contos, Gays