• Acompanhantes VIP
  • Skokka
Home » Contos » Minha Vizinha muito Gostosa

Minha Vizinha muito Gostosa

Minha Vizinha muito Gostosa

Estou eu aqui de novo pra contar algo que aconteceu ha uns meses atrás.

Desde que era pequeno havia uma vizinha que eu arrastava uma asa por ela, ela é uma delicia, cabelos castanhos claros, olhos cor de mel, seios médios, mas redondinhos e empinados, uma bundinha redonda e cheinha, com 1,76 de altura, se chama Victorya mas todos a chamam de VICK. Ela morava na casa ao lado e da janela do meu quarto eu conseguia ver o quarto dela quase inteiro aos 13 anos aquela faze de masturbação louca e incontrolavel eu bati muitas vezes pensando nela, uma vez ela chegou de uma festa com as amigas dela eu já com meus 19 anos e ela com seus 17 por cerca das 2 da manhã eu estava no meu quarto vendo filme e ouvi um barulho e risadas e fui até a janela bem devagarinho pra ver, com a luz do meu quarto apagada mesmo olhei na direção da casa dela que é duas pra baixo da minha e ví uma de suas amigas só de calcinha e sutiã elas estavam em 4 amigas tirando ela. Essa sua amiga que estava só de calcinha era uma loirinha linda com os cabelos pela cintura, usava uma calcinha fio dental branca.

Dava pra ver que esta estava bebada pois ela andava cambaleando pelo quarto e teve uma hora que caiu, as amigas foram ajudar eu alí de olho, mas nenhum sinal de Vick estar por ali quando ia saindo da janela, vejo ela enrolada na toalha saindo pra varanda do quarto dela. Como as duas casas entre a minha e a dela eram terreas ela podia sair na varanda sem se preocupar com os vizinhos a olhando exceto por mim, que era o unico que tinha essa visão. Uma outra amiga dela também saiu só de toalha pra varanda quando derrepente Vick tira a toalha e fica de frente pra janela do meu quarto e a amiga dela pega em uma caixa que estava alí no chão um vibrador e coloca dentro de Vick que começa a rebolar e pela cara e as expressões faciais, deveria estar gemendo baixinho, eu bati uma até gozar e fui me limpar quando voltei elas não estavam mais lá.

Aquela vizão não sai mais da minha mente, comecei a namorar um tempo depois, tirei a minha carta, comprei meu carro e minha moto estava tudo indo bem pra mim, nem pensava mais sexualmente na Vick até um dia que tretei feio com minha namorada e rompemos o namoro, peguei o carro e fui com alguns amigos alí da rua pra pracinha ouvir som a praça aqui é onde todos ficam parados bebendo ouvindo musica, namorando enfim, é o ponto de encontro dos jovens daqui. Vick apareceu alí com o namorado e uma ruivinha que ela disse que era prima dela e apresentou ela pra gente Alice era o nome,mas eu nem me interessei, estava puto com o que havia ocorrido e estava mais interessado em fumar meu narguile do que ficar reparando em meninas novas no bairro, ficamos fumando narguile, quando um dos rapazes teve que sair ele ia pra casa tomar banho pra encontrar com a namorada, foi anoitecendo e por fim ficamos eu Vick, Alice, Rogério que era um amigo da Vick e o irmão dele, todos ja estavam meio alcoolizados menos eu, pois não bebo uma gota de alcool os dois tentavam a todo custo dar em cima de Vick e Alice e elas só fugindo era ja cerca de umas 23 horas quando me bateu aquela fome e eu disse que ia pegar uma pizza pra gente e Vick disse que tudo bem e que era pra Alice ir comigo pra passar o cartão dela e comprar umas coisinhas pra elas na farmacia, saimos e deixamos Vick com seus dois amigos fomos com o carro até a minha casa pra eu pegar o dinheiro, Alice pediu pra usar o banheiro e eu disse a ela que era pra ela usar o de cima pois meus pais ja estavam dormindo, fomos pelos fundos da casa, subimos a escada que dá acesso a varanda dos fundos onde tem um banheiro na área de churrasco, ela entrou e acho que por estar meio bebada nem fechou a porta, como ela estava de saia, só levantou a saia, eu a fiquei olhando e ela me olhou no fundo dos olhos se limpou e após se limpar passou por mim dizendo baixinho:

-Que coisa feia ficar me espiando ne seu tarado. Se você não fosse o dono da casa eu te expulsaria daqui.

Nós dois demos risada e fomos pro carro de novo, o calor estava intenso e ao descermos ela comentou que se a Alice deixasse poderiamos ir tomar banho de piscina na casa dela todos e depois de manhã viriamos todos pra minha casa fazer um churrasco. Mas a principio nem dei bola, entramos no carro e ela deixou a saia dela subir me mostrando mais da metade das coxas fomos pra pizzaria e lá enquanto a piza ficava pronta ela atravessou a rua e foi na farmacia voltou uns minutos depois com um pacote de absorvente dentro de uma sacolinha pegamos a piza e voltamos pra praça, eles não estavam lá, sómente o meu narguile que estava com um amigo meu o Adriano que assim que cheguei disse que tinha que ir embora, perguntei se ele tinha visto a Vick e ele disse que ela havia saido com dois rapazes. Fomos até o carro, abri o porta malas do carro pra guardar o narguile e ligar o som, começamos a ouvir musica sentados próximo ao carro, passou uns 30 minutos e nada deles voltarem, comemos a pizza quase inteira e Alice me pediu uma carona até a casa dela pra pegar umas roupas pra dormir na Vick e eu aceitei, na casa dela ela me pediu pra subir, entramos no quarto dela e ela começou a escolher a roupa, pegou uma calcinha fio dental e me perguntou se ela deveria levar aquela vermelha, ou uma branca, eu sem saber o que responder, fiquei com cara de “UÉ” ela levantou a saia e disse que a branca era igual aquela que ela usava naquele momento uma preta de renda transparente eu não parei de olhar e ela disse:

-Para de babar olhando pra ela e me diz… ja sei, vou colocar as duas e vc me diz qual é a mais bonita.

Ela tirou a saia e a calcinha, eu ví uma bucetinha linda depiladinha ela colocou a vermelha e virou de costas, era bem apertada entrando na bundinha, daí tirou e colocou a branca e entao me perguntou qual era mais bonita e eu meio que inconsciente respondi que sem nenhuma ficava perfeita, ela deu um sorrisinho e veio na minha direção tirou a calcinha e me perguntou – ASSIM QUE VOCÊ ACHA PERFEITA? – eu olhei nos olhos dela e antes que pudesse ter qualquer reação ja senti ela segurando na minha rola por cima da calça, ela se abaixou e começou a me chupar ao mesmo tempo que me punhetava bem gostoso, não demorou muito pra eu gosar na sua boca. Ela se levantou e foi até o armarinho abriu a terceira gaveta e colocou o pé sobre ela ficando com uma das pernas levantada e me chamou pra meter gostoso dentro dela.

Cheguei e meti logo tudo dentro dela, ela estava molhadissima e começou a rebolar gostoso me chamando de safado, tarado, gostoso, eu dava tapa em sua bunda e lhe puxava o cabelo estava uma delicia, quando eu tirei pra poder comer seu cuzinho, ela disse que não que só me daria o cuzinho se eu namorasse com ela, então continuei bombando em sua bucetinha. Depois dessa recusa dela, comecei a bombar com mais força ainda em sua buceta e com mais raiva, chegava a sentir ela batendo contra o armário com tamanha força que a TV e as coisas que estavam em cima do armario chegavam a balançar, senti ela tremer as pernas e ela foi ficando mole que tive que a segurar pra ela não cair no chão, ela disse gemendo que havia gozado e que era pra eu parar um pouco até ela se recuperar, mas eu não parei pelo contrário comecei a bombar mais forte agora que eu estava segurando ela, deu mais uns 5 minutos ela disse que ia gozar de novo, senti escorrer um liquido pelas minhas bolas e ela gemendo disse que estava gozando, e a senti ficar mole, ela havia gozado e estava mole. Levei ela pra cama e bombei mais nela e a vi gozando mais uma vez mas dessa vez o gozo foi ainda mais forte, pois logo após ela gozar eu vi que ela desmaiou, ela fechou os olhos e não se mexia mais, eu bombava nela e a chamava, dava tapas na sua cara puxava-lhe os cabelos e nada dela reagir, pensando que era fingimento dela, a virei de costas e pincelei a cabeça da rola na entradinha do seu cú e ela não esboçou reação, comecei a forçar a entrada, se ela estivesse fingindo iria reclamar ou geme, mas nada, entrei inteiro com meus 22cm dentro dela e comecei a bombar com força, meu pau era esmagado por aquele cuzinho apertado e quente, bombei por uns 10 minutos e na hora que ia gozar tirei e abri sua boca e gozei dentro dela.

Esperei uns 5 minutos e nada dela acordar, desci e fui até o carro, quando estava no carro a mãe e a irmã dela chegaram, como meu carro é todo no fumê elas nem viram que havia alguém lá dentro, esperei por mais 10 minutos e fui pra casa, peguei a moto e estava voltando pra pracinha quando resolvi cortar caminho com a moto por dentro de uma viela pouco movimentada e que ninguém passava ali de madrugada por causa dos maconheiros que ficavam fumando ali, mas como eu conhecia muitos deles eu nem me preocupei, e quando entrei na rua ví um dos amigos da Vick com a calça arriada como se estivesse mijando em uma parte da viela onde tinha uma entrada que ficava escondida, e que só se podia ver o que rolava la dentro quem passasse alí pela frente desliguei a moto pra não fazer barulho, abaixei a viseira do capacete e fui passando, ao olhar pra dentro, vi Vick ajoelhada com a cara cheia de porra e os dois amigos dela haviam gozado em sua cara e ela tentava se limpar usando a própria calcinha, nenhum dos amigos dela havia me visto nem mesmo ela, assim que passei por eles, liguei a moto e fui até a pracinha, deixei a moto na parte de cima da praça e tirei o narguile da mochila e o acendi, passaram uns 5 minutos e Vick apareceu andando meio torta, vindo da direção da viela os amigos dela não estavam, ela me perguntou de sua amiga e eu disse que ela estava indisposta e que havia ido embora pra casa.

eu perguntei onde ela estava e ela disse que havia ido na viela pra fazer xixi, ficamos conversando ali mais uns 10 minutos até que eu disse que ia embora pra casa e ela me pediu uma carona, fomos até minha moto e ela ainda meio bebada sentou a moto e me abraçou, segurou minha rola firma por cima da calça e foi apertando ela até chegarmos em frente a casa dela, ela desceu da moto e disse que era pra eu ir na casa dela lá pelas 8:30 pois is rolar um churrasco lá. Neste churrasco rolou sexo muito gostoso, mas isso fica pra próxima história!