Porno Gratis – Filmes Porno Brasileiros, Videos de Sexo Nacional, Sexo Amador, Videos Porno. - Porno Carioca. Videos Porno, Videos de Sexo, Xvideos, Filmes XXX, Sexo Amador, Porno, Fotos Amadoras, Porno Gratis, Contos Eróticos.
Home » Contos »

Transei gostoso com essa vadia da minha professora

Transei gostoso com essa vadia da minha professora

Meu marido tinha acabado de perder mais uma vez seu emprego e passávamos por mal bocado em casa… Com dois filhos e muitas contas, meu salario de professora em uma escola de ensino particular não estava dando conta.

Então, um dia, enquanto eu estava na sala dos professores esperando minha próxima aula, nosso diretor e dono da escola entrou e nos informou que estava procurando um monitor de alunos, na mesma hora, eu senti que era uma oportunidade de conseguir um trabalho para meu marido.

Esperei terminar minhas aulas e então fui a sala dele, um homem alto branco cabelos escuros olhos escuros aparentando uns 45 anos para pedir uma oportunidade para meu marido na escola. No outro dia, assim que entrei, fui direto a sala dele e levei o currículo de meu marido. Depois enquanto eu lecionava uma funcionária veio a minha sala para me avisar que o diretor queria falar comigo depois da aula.

Quando terminei a aula, fui imediatamente a sua sala e quando cheguei lá, ele novamente me recebeu muito bem, mas me informou que o currículo de meu marido não era bom o bastante para contrata-lo e que ele já tinha currículos melhores para a vaga. Fiquei desesperada, e comecei a implorar aquela vaga para meu marido. Quando eu disse que faria qualquer coisa para ele contratar meu marido, sua fisionomia mudou e ele começou a olhar-me de uma forma estranha… Na verdade eu sempre percebi que ele me olhava inteira quando eu passava, mas até então eu achava que aquilo era normal. Foi quando ele me interrompeu enquanto eu falava e disse: – Qualquer coisa…? E eu respondi: – sim! Qualquer coisa!

Foi aí que ele se levantou andou em direção à porta de sua sala e trancou-a, e veio em minha direção com um olhar muito safado, parou, encostou na mesa próximo onde eu estava sentada… E me disse:

– Professora, eu estou disposto a esquecer os outros currículos que estão em minha mesa e contratar seu marido. Mas para isso, eu quero um pouco mais de você… Então quando ele acabou de falar essa frase ele apontou com os olhos para seu pênis e eu que não tinha prestado atenção ainda, olhei também… A essa altura ele que estava com uma calça social, já mostrava através de sua calça seu pênis ereto. Quando voltei os olhos para ele, ele falou. Você quer ou não o emprego para seu marido? Não pensei duas vezes, comecei a acariciar seu pênis, abaixei o zíper de sua calça e enquanto olhava para seus olhos, coloquei minha mão dentro da calça dele procurado seu pênis ereto, tirei-o para fora da calça e o masturbei um pouco, olhando para ele e para seu pênis. Logo me aproximei de seu pênis, senti o cheiro e coloquei-o em minha boca. Eu engoli ele até onde pude, e acariciando seus testículos chupei seu pênis deliciosamente. Eu passava minha língua em volta da cabeça de seu pênis, engolia novamente, enquanto soltava alguns gemidinhos que o deixavam louco de tesão. Comecei dar alguns sugadinhas na cabeça do pênis enquanto passava a língua na parte inferior da cabeça. Eu já havia tido minhas experiências na época de faculdade com alguns rapazes, mas depois de casada, nunca mais tinha sentido o sabor, o cheiro e a forma de outro pênis em minha boca a não ser o de meu marido. Ao mesmo tempo em que sentia que aquilo era errado, ficava falando para minha mente que era por uma boa causa e que além do mais estava delicioso…Nas sugadinhas que eu dava eu sua rola, senti que já não era só minha saliva que estava em minha boca e sim outro liquido mais espesso que não era o sêmen e sim somente o lubrificante natural que seu pênis estava soltando, preparando-se para a penetração.

Depois de alguns minutos chupando aquela rola dura que a essa hora já estava latejando e ele segurava a vontade de gozar em minha boca, ele segurou minha cabeça tirando seu pênis de dentro de minha boca, me pegou pelos ombros, colocando-me em pé e me beijou deliciosamente. Enquanto eu beijava-o, sentia suas mãos percorrendo meu corpo, apertando meus seios e se encontrando em minha bunda. Foi aí que ele começou a me empurrar em direção a sua mesa de costas e eu sentei. Ele continuou a me beijar e começou a baixar minha calça do uniforme da escola junto com minha calcinha. Após te feito isso, ele me empurrou em direção a mesa e eu sentei, ele puxou a cadeira onde eu estava sentada e sentou nela também e com uma vontade deliciosa de quem saboreia um maravilhoso prato, abriu minhas pernas e começou a chupar minha xana. Ah que delicia… Sua língua percorria toda a extensão de minha xana, que a essa altura já estava toda molhada, eu podia sentir seus dentes quando ele apertava mais sua boca contra minha xana. Depois de um tempo me chupando, ele colocou seu dedo dentro de mim e continuou a me chupar… Nossa que tesão, eu rebolava no dedo dele e soltava gemidos baixinhos pois sabia que tinha outras pessoas lá fora, mas eu não estava aguentando de tesão!

Quando então repentinamente ele parou de me chupar e tirou o dedo de dentro de mim, ficou de pé empurrou com o pé a cadeira olho em meus olhos como um leão faminto e colocou a cabeça do pênis dele na entrada de minha xana, naquela hora eu não pensei mais em nada, já não me importava com o que eu estava fazendo e o porque, eu só queria sentir prazer. Rapidamente puxei-o para dentro de mim… Ah que delicia! Seu pênis entrou ainda um pouco seco, ralando as paredes de minha xana, mas era uma dorzinha gostosa… foi quando ele começou a estocar e já na segunda ou terceira estocada, eu estava completamente molhada e ele foi aumentando a força e a rapidez em que empurrava sua rola dentro de mim. Quando eu sentia que sua rola estava saindo eu fechava um pouco as pernas para senti-la inteira passando por minha xana e quando ele empurrava forte e rapidamente para dentro eu abria mais as pernas para abraça-la melhor. Ele então levantou a camiseta do uniforme que eu estava usando e tirou meu sutiã de lado para acariciar e chupar meus seios que estavam duros de tanto prazer, ele fazia isso enquanto suas mãos acariciavam minhas coxas e minha bunda e ele empurrava sua rola cada vez mais forte dentro de mim. Ficamos assim durante alguns minutos, foi quando então ele parou de repente, eu na verdade não entendi pois estava tão gostoso… Aí ele puxou uma cadeira sentou com sua rola dura gostosa e me puxou para que eu sentasse em cima de sua rola… Como foi gostoso, na mesma hora em que sentei comecei a cavalgar e a pular em cima daquela rola gostosa que me comia deliciosamente. Segurei firme em seus ombros e cavalguei enquanto ele segurava minha bunda e com seu dedo acariciava meu cuzinho que já estava molhado, não sei se de suor ou de tesão. Comecei aos poucos perceber que além de acariciar, seu dedo começava a cada momento que eu descia em sua rola a entra no meu cuzinho… Pensei: – Como isso é bom! Continua! E gemia deliciosamente.

Depois de pular por algum tempo em cima de sua rola dura e ter seu dedo comendo meu cuzinho minhas pernas já estavam mole de tesão. Foi quando ele parou, me tirou de cima de me colocou de quatro curvada em cima de sua mesa. Aproveitei para descansar um pouco e senti quando ele abriu minhas pernas por traz e colocou sua rola na entrada da minha xana…Eu dei uma reboladinha em sua rola para encaixar melhor, ele segurou em meus ombros firme e começou a estocar com bastante força enquanto ouvia meus gemidos de prazer. Como eu estava adorando tudo aquilo. Ter aquele homem dentro de mim, sentir sua rola, saber mesmo de olhos fechados que era uma outra rola que me comia e não a do meu marido como eu estava acostumada. Eu rebolava e abria mais as pernas para ele me comer. Foi quando então comecei a pensar em tudo aquilo que estava acontecendo e como eu estava me deliciando com aquilo e não aguentei soltei um gemido mais alto e gozei deliciosamente. Na mesma hora em que gemi mais alto senti que seu gozo entrou dentro de mim e então ele caiu por cima de mim exausto e falou em meu ouvido… A vaga é do seu marido…