Porno Gratis – Filmes Porno Brasileiros, Videos de Sexo Nacional, Sexo Amador, Videos Porno. - Porno Carioca. Videos Porno, Videos de Sexo, Xvideos, Filmes XXX, Sexo Amador, Porno, Fotos Amadoras, Porno Gratis, Contos Eróticos.
Home » Contos »

Levando muita pica na xaninha apertadinha

Levando muita pica na xaninha apertadinha

Olá, eu tenho 19 anos e vou contar a minha história de quando eu perdi a virgindade, foi bem legal… Eu sou morena, pele clara, cabelos escuros, corpo magro mas possuo pernas grossas e uma bundinha bem arrebitada.

Eu sempre tive um pouco de medo, ficava receosa quando o assunto era sexo. Eu naquela época namorava um garoto da minha idade, 17 anos… Ele era bonito, mas era bem tímido. Eu ansiava por perder minha virgindade, só que ele era muito demorado, me trocava por futebol, essas coisas. Certa vez, eu estava no banheiro, enfiando os dedos em mim e ele entrou no banheiro, eu disse que queria te-lo dentro de mim, e ele apenas me beijou e saiu. Eu fiquei muito nervosa. Minhas amigas sempre me perguntavam se tinha rolado, nunca e nunca rolava!! É, eu estava brava por isso. Certa noite, meu namorado ficou de ir na casa de uns amigos para ver uns filmes e jogar vídeo-game, toda semana faziam isso e me convidou, eu neguei e esperava ficar em casa. Já se aproximava da meia-noite quando uma amiga me ligou, o som de música alta no fundo me levou a conclusão que ela estava numa festa, e me fez o convite dizendo que em meia-hora iria me buscar na minha casa. Eu me arrumei, botei um Jeans bem colado no meu corpo, uma blusa preta, e deixei meus cabelos soltos mesmo. Quando o carro me pegou, fui para a festa e quando cheguei lá, minha animação mudou, eu comecei a dançar com vários rapazes e com as minhas amigas, depois de alguns goles, eu estava um pouco alterada (eu fico bêbada muito fácil haha) e comecei a me soltar mais, dançar mais, rebolar e tudo. Quando a musica parou eu fiquei junto das minhas amigas até que recebi uma mensagem do meu namorado que me perguntava onde eu estava e o que estava fazendo, ignorei, tinha uma desculpa perfeita para o dia seguinte. Eu ia era aproveitar meu dia! Quando começou a tocar a música novamente, minhas amigas ficaram junto de um grupo de rapazes e começaram a dançar bem juntas, eu fiquei sozinha, no canto, batendo com o salto no chão até um rapaz chegar em mim, ele era moreno, maior que eu, tinha ombros largos e uma voz grossa bem deliciosa, aceitei o convite para dançar e ficamos se roçando bem gostoso, ele sempre chegava bem perto e ficava roçando sua parte na minha bunda, e eu fiquei um pouco com medo, até que ele me virou e me beijou, eu correspondi e fui beijando, passamos um bom tempo nos pegando, ele agarrou minha mão e me conduziu até uma escada que estava fechada por um homem, que não deixava ninguém subir.

– Ai cleber, deixa eu passar…

– Vai lá.

Ele era conhecido do dono da festa, e quando me levou para cima, me jogou numa cama, eu fiquei com medo, não era meu namorado, era outra pessoa que estava querendo me comer… Ele foi me beijando, tirando minha roupa e suas mãos já estavam perdidas dentro da minha calcinha quase enfiando os dedos na minha xota, eu fiquei maluca, pegando fogo, com medo mas com muito tesão, ele foi arrancando suas roupas e as minhas. Ai eu pensei: Que mal tinha?

– Eu nunca fiz isso… Pára…

– Calma que eu te ensino, gata… Vai ver como é bom… Você vai gostar… Eu pego leve.

E aquela cueca branca desenhava bem aquele pau que tava ficando duro, eu abri a boca devagar, e ele agarrou meus cabelos e foi tirando a cueca, quando caiu, o pau veio em um coice e bateu na minha boca, eu ri baixo, mas fui pressionando meus lábios carnudos na cabeça, tinha um gosto diferente, era gostoso, e ao mesmo tempo que passava os lábios, acabei por brincar com a minha língua em cima dele… Ele gemia baixo e eu ficava pensando se ele tava gostando, até que minha cabeça foi forçada contra o pau e senti todo o pau correr na minha língua até a cabeça tocar na minha garganta, que merda!! Fiquei um tempo sem respirar e quando soltou, eu cai na cama vermelha.

– Tu ta maluco? Eu podia ter morrido!

– Tu engoliu meu pau… Tu tem uma boquinha tão gostosa, vem cá senão eu vou enfiar tudinho de novo…

Ele batia uma punheta, e eu me senti desafiada, fiquei deitada, com a cabeça para cima, olhando o teto, e mostrei a língua então ele foi se deitando por cima de mim, senti as bolas dele tocar meu queixo, e seu pau na minha boca, ele começou a me foder por lá, bem devagar, senti a cabeça invadir minha boca denovo, e quando me vi, eu estava virada numa puta, ele batia com o pau na minha cara, e eu ficava tímida, envergonhada, até que ele me deixou de quatro, com a calça ainda, foi mordendo a minha bunda por cima do Jeans, e esfregando o pau por baixo, até que ele tirou a calça, deixando na metade da coxa com a minha calcinha, ele abriu minha bunda dizendo que eu havia um cuzinho lindo, eu jamais iria deixar ele comer meu reguinho, estava pronta pra bater nele até que ele enfiou a língua, começou a lamber tão gostoso que eu me senti nas nuvens, arrepiada, foi descendo ate a minha boceta, quando olhei pra ele, de um modo safado, ele enfiou o pau, bem devagar e eu gemi baixo, até que ele começou a estocar devagar, deixando o pau descer até o talo, eu berrava, até que uma lagrima escorreu no meu rosto, depois, ele me fez cavalgar, enquanto eu cavalgava ele lambia meus seios, eu ficava muito excitada, quando ele me tirou de cima dele, foi para dar o anuncio final, começou a punhetar tão rápido que esperei o gozo quente nos seios, mas ele foi pra frente bem na hora que ia gozar, e a porra voou no meu rosto, entrou na minha boca, ficou aquele leite, pastoso em cima do meu rosto, grudado, pingando… Fiquei brava com ele, por que eu me senti uma puta. Só que ai ele começou a lamber a minha xota, o meu cuzinho, e enfiou os dedos no meu cu, eu gemia alto, até que gozei também, nossa… Foi inesquecível. Quando cheguei em casa, ainda sentia o gosto dele na minha boca. E enfiei meus dedos mais uma vez pra gozar.

Mas fui surpreendida quando ele me mandou um sms com uma foto do seu pau bem grande para mim, escorrendo porra…

Essas coisas rolaram durante dois meses, até que eu finalmente tive coragem de chamar ele pra ficar aqui em casa em um sábado a noite, foi quando meu namorado acabou, foi bem ruim, mas deliciosamente erótico e excitante, eu estava de quatro, na cama, gemendo, com meus cabelos amarrados na mão dele quando meu namorado entrou no meu quarto, foi muito gostoso aquela noite, por que fizemos sexo umas quatro vezes em tão pouco tempo..