Porno Gratis – Filmes Porno Brasileiros, Videos de Sexo Nacional, Sexo Amador, Videos Porno. - Porno Carioca. Videos Porno, Videos de Sexo, Xvideos, Filmes XXX, Sexo Amador, Porno, Fotos Amadoras, Porno Gratis, Contos Eróticos.
Home » Contos »

Perdendo o cabaço do cuzinho apertadinho

Perdendo o cabaço do cuzinho apertadinho

Meu corpo embora fosse de um menino não era assim que me sentia ou gostaria, desde cedo meus desejos eram pelos meninos, minhas atrações e masturbações eram sempre pensando em meninos, adorava entrar no vestiário para velos tomando banho, no intervalo era fatal, la estava eu no banheiro do vestiário a observar um pinto. Consegui chegar aos 16 anos resistindo a esse desejo, mas até a natureza conspirava contra mim, sem pêlos pelo corpo, um rosto lisinho, olhos verdes, dentes perfeitos, cabelos castanhos claros lisos, branco, 1.78, uns 57 kilos, um bumbum privilegiado, eu sentia que muitos rapazes me olhavam com desejo, mas me faltava coragem de encarar. Assim meu pai tirou ferias de 15 dias e resolveu alugar uma casa no litoral para passarmos 15 dias, o mês escolhido foi o de julho e la fomos nós. O lugar era meio rústico, mas a casa era boa, chegamos em um Domingo e não tinha quase ninguém, a proposta era não pegar tanta gente assim, e de fato aconteceu, eu particularmente não gostei do lugar mas não quis ser desagradável e fiquei na minha. Por volta das 22:00 horas resolvi dar uma volta já que não consegui dormir, o local estava vazio, um verdadeiro horror, acho que passado uma hora em que estava em um banco sentado avistei um vulto que vinha em minha direção, não dava pra saber ao certo, mas o vulto foi se aproximando e já percebia que era um garoto de uns 14 a 16 anos, que vestia uma calça de moletom azul, uma camiseta branca, uma bombeta e tênis, era um garoto negro, um pouco mais baixo que eu, ele chegou mais perto e deduzi que estava sem cuecas dada a forma que seu volume se comportava, dei uma encarada no volume do garoto que ele ficou me encarando, ele passou por mim, caminhou um pouco a frente e voltou, pediu um cigarro e ficou olhando nos meus olhos, eu encarei aquele volume e olhei em seus olhos, ficamos nessa situação por enquanto lhe dava o cigarro e isqueiro, embora tenha sido um tempo curto pareceu uma eternidade, meu coração havia pulado, eu não sabia o que fazer. Ali onde estávamos havia uma entrada que levava a praia, era uma entradinha de grama, muito mau cuidada, ele entrou ali e deu uma olhada para traz como a me convidar a acompanhado, tremendo todo fui atras, tinha na praia umas arvores com umas graminhas dentro da praia, ele começou a caminhar para la e eu meio cabreiro atras. Ele chegou em uma arvore encostou e para minha surpresa baixou a calça, não tinha iluminação só a luz da lua, me cheguei e olhando para todos os lados e sem poder mais resistir peguei em seu pau, era algo de uns 13 a 14cm, muito grosso, como estava só masturbando-o ele me pediu que o chupasse, baixei e comecei a chupa-lo, o instinto tinha me privilegiado e o garoto começou a gemer e dizer que chupeta meu, nossa e a se contorcer todinho, fiquei assim por uns 5 minutos até que ele me pediu para colocar no meu cuzinho, levantei, me posicionei encostado na arvore, baixei minha bermuda e ofereci a ele meu cabaçinho, pedi para Ter paciência que era a primeira vez, o garoto melo o pau com saliva, passou saliva na entradinha e começou a tentar a penetração, foram varias as tentativas até que a cabeça passou a dor era enorme, mas tentava ajuda-lo da melhor maneira, foram preciso varias lubrificações até que ele estava inteirinho dentro do meu ex-cuzinho, ele me baixou mais um pouquinho e grudou em minha cintura e começou umas estocadas leves e de repente acelerou e senti as veias de seu pau pulsarem e meu cu ficar bem mais melado, ele disse para mim bater punheta, eu fiz e logo gozei. Ele disse que de volta e meia aparecia um bichinha e que ele sapecava mesmo, mas que ainda não tinha feito um cuzinho virgem, eu tinha uma sensação de não saber direito o que tinha acontecido, ele disse que no dia seguinte passaria no mesmo horário e se eu quisesse ele poderia comer de novo. De fato fiquei ali esperando ele, e ele realmente veio com outro garoto, mas ai já é uma outra história.